A mesma Tecnologia de Som dos Megashows é utilizada no Carnaval de São Paulo



São Paulo, 17 de fevereiro de 2011 – A captação do som do Sambódromo, ao contrário de outros grandes eventos, não é feita a partir de um palco estático onde os poucos instrumentos estão fixos. A “engenharia de som do samba” exige um aprofundado conhecimento técnico, vasta experiência em grandes eventos e ouvidos apuradíssimos. Para se ter uma ideia da dificuldade na captação do som, cada bateria conta com cerca de 250 instrumentistas em constante movimento – bem mais que a maioria das orquestras sinfônicas – , e é por isso que a técnica precisa ser perfeita para garantir a qualidade e a fidelidade sonoras em todos os desfiles, durante os vários dias do evento.

Tecnologia para dar Samba – Tukasom, a empresa selecionada para reproduzir o som no Sambódromo paulistano, fará com que pela primeira vez no Sambódromo as mesas de som (consoles) trabalhem em rede. Por meio de um cabo de fibra ótica, todos os sinais estarão presentes em todas as mesas simultaneamente, graças à tecnologia desenvolvida pela Yamaha e utilizada pela Tukasom. O objetivo principal é que todos os pontos de reprodução de som do Sambódromo (PAs) transmitam a mesma qualidade sonora em tempo real.

Altamente especializada, a equipe técnica da Tukasom conta com vasta experiência em projetos que exigem total fidelidade na reprodução sonora por meio de sistemas de áudio de última geração. A emprsa tem a seu favor a experiência adquirida na última edição do carnaval paulistano. Os mesmos técnicos já sonorizaram com sucesso eventos com grande grau de exigência, como as apresentações de The Israel Philarmonic Orchestra – Zubin Mehta, Orchestra Filarmonica de Helsinque, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orchestra Filarmonica della Scala di Milano e Orquestra de Camara da Filarmônica de Berlim, além do Festival de Inverno de Campos do Jordão e de uma imensa lista de grandes nomes do rock, pop e blues nacional e internacional.

A sonorização do Anhembi é um projeto complexo, que envolve tanto os Técnicos de Som como as Baterias, Intérpretes e Músicos de Harmonia. De acordo com o Presidente da Tukasom, Armando Baldassarra, a captação da bateria é um dos itens mais importantes deste trabalho. “A sonoridade da bateria é a “alma” do Carnaval. Nossa filosofia é que todo evento sonorizado deve reproduzir com fidelidade seus sons originais, ou seja, amplificar o mais naturalmente possível seus instrumentos acústicos. No Carnaval, isso não poderia ser diferente”, ele afirma.

Sobre a Tukasom – Especializada em Engenharia de Som e Sistemas de Áudio para grandes eventos, a empresa oferece amplificação e reprodução fiel da fonte sonora, tendo como principal objetivo preservar sua integridade e textura. Com equipamentos de última geração, de alta qualidade e competente equipe técnica constantemente atualizada, a Tukasom conta com mais de 20 anos de experiência no mercado nacional e tem como grande diferencial a atenção que é dada aos detalhes, dos menores conectores aos cabos e fiação, plugs, microfones e consoles de mixagem, pois cada solda e componente é importante para atingir a máxima qualidade de som. Não é a toa que a empresa estrutura o sistema de som dos maiores e melhores eventos do país.




Compartilhe