Livre-se das ciladas que podem piorar a psoríase



image[0]


Atitudes simples como coçar a pele, passar hidratante e vestir-se podem ser bem complexas para as pessoas que sofrem da doença. Entenda o porquê.

São Paulo, 14 de novembro de 2018 – Como uma doença de natureza autoimune e sem cura evidente, a psoríase apresenta sintomas inevitáveis, desencadeados por gatilhos naturais, como hereditariedade, mudanças hormonais e outras enfermidades. No entanto, algumas atitudes, muitas vezes involuntárias, podem piorar o quadro da patologia, devendo ser suspensas assim que os indícios surgirem. Confira abaixo algumas delas, indicadas pela Dra. Maria Inês Harris, consultora científica de EctoPURE, da Biobalance.

Coçar a pele

Quando a pele está irritada ou com alguma alteração que cause incômodo, a primeira reação da maioria das pessoas, principalmente das crianças, é coçar imediatamente o local afetado. No entanto, no caso de pacientes que sofrem de psoríase, qualquer tipo de lesão na pele pode causar o aparecimento de feridas em regiões que estavam saudáveis anteriormente, caracterizando o fenômeno de Koebner, que é inerente a alguns tipos de doença.

O que fazer: Procurar um médico especializado e manter os cuidados preventivos da pele.

Usar hidratantes comuns

O uso de hidratantes em geral não apresenta contraindicações para pessoas que não apresentam problemas crônicos de pele. Contudo, os portadores de psoríase não devem aplicar cremes perfumados ou pigmentados sobre as lesões, já que estes produtos são mais propensos a provocar alergias. Da mesma forma, também devem descartar o uso de produtos que contenham conservantes alergênicos como metilisotiazolinona, imidazolidinil ureia, diazolidinil ureia e DMDM hidantoina.

O que fazer: Selecionar produtos seguros, livres de corticoides ou componentes alergênicos, como os corantes e conservantes citados. Utilizar hidratantes que aumentem o efeito de barreira da pele, regularizando a hidratação normal e o processo de renovação cutâneos, desde as camadas mais profundas.

Vestir roupas sintéticas

As roupas produzidas com tecidos sintéticos ou artificiais podem até durar mais, desbotar menos e apresentar um toque mais suave. No entanto, quando as lesões da psoríase estão aparentes, esse tipo de traje tende a piorar o problema, pois a absorção da umidade é prejudicada e a superfície mantém-se úmida, o que favorece ainda mais o desequilíbrio da barreira, o ressecamento e a descamação. Esses processos podem causar coceira e até dor, no caso de formação de feridas.

O que fazer: Optar por roupas desenvolvidas com fibras naturais, totalmente antialérgicas e que apresentem boa capacidade de adsorção da umidade, mantendo a pele sempre seca e menos suscetível aos sintomas.

Usar acessórios metálicos (joias/bijuterias)

As bijuterias, em geral, contêm cobre e níquel que, em contato com a pele, podem liberar sais e favorecer o estresse oxidativo. No caso da prata, também pode ocorrer uma transferência de metal oxidado para a pele, o que pode provocar coceiras. Contudo, esse elemento químico é menos reativo e perigoso do que os anteriores. Já as joias de ouro não sofrem processos oxidativos e, portanto, não provocarão a deposição de íons, desde que o teor de cobre presente no acessório seja significativamente baixo. Vale salientar, porém, que o uso desses ornamentos pode favorecer o acúmulo de resíduos oriundos da evaporação da transpiração, induzindo ao aumento da coceira. Além disso, o níquel é muito alergênico e a exposição de uma pele mais reativa, como a de quem tem psoríase, a este metal, pode levar o paciente a um quadro alérgico com mais facilidade.

O que fazer: Evitar o contato direto da pele com bijuterias.

Tomar medicamentos contraindicados

Alguns fármacos prescritos para o tratamento de outras doenças podem desencadear e até piorar os sintomas da psoríase. São exemplos o lítio, utilizado em medicações para pacientes com transtorno bipolar, e os betabloqueadores, presentes em algumas drogas recomendadas para malária e cardiopatias.

O que fazer: Caso receba prescrição médica de remédios com alguma dessas substâncias, o indivíduo com psoríase deve conversar com o especialista responsável pela receita e solicitar, se possível, um tratamento opcional.

A empresa, 100% nacional, Biobalance Natural Imune Support comercializa  nas farmácias de manipulação de todo o Brasil a linha EctoPURE de cremes calmantes de uso tópico com o princípio ativo Ectoin®. Essa substância consegue estabilizar determinadas moléculas da pele, protegendo-a contra inflamações, e ainda recupera o manto hidrolipídico, promovendo a hidratação de áreas ressecadas, acalmando e atenuando vermelhidões. A linha, que apresenta concentrações de 3,5% (para dermatite atópica) e 7% (para psoríase), auxilia na redução de processos inflamatórios da pele, sem o uso de corticoides.

Sobre a Biobalance Natural Immune Support – A linha Biobalance visa promover saúde e bem-estar, através de produtos inovadores, naturais e de alta qualidade, que tenham por finalidade estimular as defesas naturais e o equilíbrio fisiológico do corpo humano. Suas linhas, encontradas nas grandes redes de farmácia, abarcam OmegaPURE® e OmegaPURE DHA® que têm a maior concentração de ômega-3 na menor cápsula do mercado, e EctoPURE®, cremes calmantes de uso tópico que auxiliam na redução de processos inflamatórios da pele, sem o uso de corticoides. Para saber mais acesse o siteFB e Instagram. SAC: sac@biobalance-nutraceuticals.com ou 0800-771-8438.





  • image[0]

Compartilhe